É com pesar que a ABRAF comunica a passagem de nosso ilustre associado e luthier Luiz Tudrey. E agradece, em nome de todos os flautistas brasileiros, pelos longos anos de trabalho abnegado, carinhoso e cuidadoso com nossas flautas. Nossos profundos sentimentos à família e amigos.

ATENÇÃO!

Nossa assembleia acontecerá dia 20/12 (quarta-feira) com primeira chamada às 19h30 e segunda às 20h pela plataforma Zoom. (O link será enviado aos associados 2023).

Na pauta a mudança de endereço da sede da Abraf e a alteração do estatuto.

Importante a participação do maior número de associados.

Agende-se! Até lá.

LOGO RADIO TV_ENCONTRO DAS AGUAS_VERDE_fundo_transparente

A ABRAF agradece o apoio fundamental fornecido pelo Governo do Estado do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, o Instituto Cultural Brasil Estados Unidos – ICBEU Manaus, o Sistema de Comunicação Encontro das Águas, além da participação e colaboração dos grupos musicais: Orquestra Amazonas Filarmônica, Orquestra de Câmara do Amazonas, Orquestra Barroca do Amazonas, Orquestra Sinfônica da Amazônia e Amazonas Band, e a dedicação dos artistas Rui Machado (artista plástico) e Átila de Paula (designer gráfico), criadores do cartaz temático do XX Festival Internacional de Flautistas.

Evento Científico

 XIV Evento Científico da ABRAF

A Associação Brasileira de Flautistas – ABRAF e a Comissão Organizadora do XIV Evento Científico da ABRAF comunicam que o Evento deste ano acontecerá na cidade de Manaus-AM, entre os dias 06 e 09 de junho de 2024, como parte do XX Festival da Associação Brasileira de Flautistas, tendo como tema:

PERSPECTIVAS DE PESQUISA NO MUNDO HODIERNO: a flauta ontem e hoje

Convidamos pesquisadores, professores, profissionais e estudantes a submeterem trabalhos para serem apresentados nos Grupos de Trabalho (GT) relacionados a seguir:

 

1 – Práticas interpretativas do repertório da flauta transversal;

2 – Ensino e pedagogia da flauta transversal;

3 – Flauta Transversal: resgate da memória e sua contribuição à contemporaneidade.

 

Os resumos dos trabalhos devem ser enviados no período de 10 de março a 25 de abril de 2024, impreterivelmente.

 

“Esse ano as apresentações poderão ser realizadas on-line, em tempo real.”

 

Saiba mais clicando no botão abaixo.

 

Convidados 2024

ARLEY RAIOL / Brasil

Coordenador e Produtor do XX Festival Internacional de Flautistas da ABRAF 

É membro da Diretoria da Associação Brasileira de Flautistas desde 2019 – inicialmente como conselheiro consultivo para o quadriênio 2019-2022, instituição sem fins lucrativos onde atualmente colabora como tesoureiro para o quadriênio 2023-2026. Fez parte do Quinteto Ecos de Sopro (2000 em Campinas-SP, 2001 em Curitiba PR), Quinteto de Sopros do Paraná (2001-2004), Quinteto de Sopros da Amazônia (2004) e desde 2020 é integrante do Quinteto Cláudio Santoro. Foi membro fundador da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (1996 a 1998, em Belém-PA), integrou a Orquestra Sinfônica do Paraná (2001 a 2004, em Curitiba-PR) e desde 2004 integra a Orquestra Amazonas Filarmônica (Manaus-AM), onde atualmente ocupa o cargo de 1ª flauta solo – e onde durante 12 anos foi monitor e orientador dos jovens estudantes de música que passaram pelo naipe de flautas da Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica. Atualmente também atua como professor de Flauta Transversal do Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro (LAOCS), maestro do Coral de Flautas do LAOCS e maestro do Coral da Aliança Francesa de Manaus. É mestrando em Performance Musical pela USP.
Canal no YouTube: https://youtube.com/@flarley1

ABNER AMÉRICO / Brasil

Natural do Amazonas, iniciou seus estudos de flauta no Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro, em 2010. Em 2015, mudou-se para a cidade de Tatuí, em São Paulo, onde prosseguiu com seus estudos no Conservatório de Tatuí. Em 2023, formou-se no curso de instrumento da Academia de Música da OSESP e em Licenciatura em Música pela Universidade Metropolitana de Santos. Participou de vários festivais de música, dentre eles Festival de Inverno de Campos do Jordão, Festival Amazonas de Ópera, Festival Internacional SESC de Música e Festival de Flautistas da ABRAF, além de master classes com renomados flautistas como Jacques Zoon, William Bennett, Silvia Careddu, Angela Jones, Wally Hase, Jessica Dalsant e Tom Ottar Andreassen. Foi premiado no Concurso Nacional de Flauta João Dias Carrasqueira, em 2019 e 2022, no I Concurso Nacional ABRAF – Flauta Solo, em 2020, além de ter sido semifinalista no programa Prelúdio da TV Cultura, em 2019. Atuou em grupos orquestrais como Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica e Orquestra Sinfônica do Conservatório de Tatuí e, desde então, atua como convidado na Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo, Orquestra Jovem do Estado de São Paulo e Orquestra Sinfônica do Paraná, tendo trabalhado com grandes maestros como Heinz Holliger, Louis Langrée, David Robertson, Giancarlo Guerrero, Roberto Minczuk, Cláudio Cruz e Roberto Tibiriçá.

ALBERTO SAMPAIO / Brasil

Possui título de Mestrado pela Escola de Música da UFMG, instituição em que se formou-bacharel em Flauta Transversal. Possui Especialização em Música Brasileira pela Escola de Música da UEMG.

É professor, há 25 anos, da Escola de Música da UEMG – Universidade do Estado de Minas Gerais, onde atua nos cursos de Bacharelado e Licenciatura, É também professor da Fundação de Educação Artística, em Belo Horizonte, escola em que criou e dirige a Flutuar Orquestra de Flautas e a Flautti Orquestra. Com estes dois grupos, há mais de uma década, desenvolve intenso trabalho de valorização da música brasileira, elaborando inúmeras transcrições e arranjos para orquestra de flautas transversais, além de efetivar encomendas, para compositores mineiros, de obras e arranjos inéditos para esta formação.

Com a Flutuar, empreendeu diversos projetos culturais: “CD Flutuar no Horizonte”, “Trens para Flutuar“, “Brasil em Flautas” e “Encontros para Flutuar”. Com a Flautti, têm realizado concertos temáticos: “Sol a Sol”, “Águas”, “Luares“, “Pássaros“, “Rosas“, “Musas“, “Esquinas do Clube“, dentre outros. Foi contemplado, em 2010, com o PRÊMIO FUNARTE DE CONCERTOS DIDÁTICOS, sendo o empreendedor do Projeto Quinteto Brasil em Flautas. Têm sido o regente e arranjador da Orquestra de Flautas em edições sucessivas do Festival Internacional de Flautistas da ABRAF.

ALEF CAETANO / Brasil

É Flautista Solista da Orquestra Sinfônica Brasileira, Mestre e Doutorando em Música pela Universidade Federal de Minas Gerais, onde foi Professor Substituto. Foi vencedor de diversos prêmios nacionais e internacionais, dentre eles destacam-se o Primeiro Prêmio do Concurso Internacional La Flauta Latinoamericana e o Primeiro Prêmio do II Concurso Nacional para Jovens Flautistas João Dias Carrasqueira. Participou da Academia da Orquestra das Américas e foi solista convidado de diversas orquestras,  dentre elas a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e a Orquestra Ouro Preto. Foi professor convidado do 18º Festival Internacional de Flautistas da ABRAF e do II Festival Transversal. Participou da gravação do CD “Meu Coco” de Caetano Veloso, e em parceria com a Orquestra das Américas gravou a trilha sonora do curta “Codex Mexica” e a obra “Porcelana de Oro”, ambas composições de Cristóbal MarYán.

ALEXANDRE RODRIGUES / Brasil

Multi-instrumentista, compositor e luthier de pífanos, iniciou seus estudos com o choro e ritmos do nordeste do Brasil, aos 12 anos de idade na banda musical 1° de maio na cidade de Itapissuma-PE, aos 15 anos ingressou no grupo Choro Miúdo liderado pelo mestre Bozó sete cordas, tocando saxofone, clarinete e flauta transversal, licenciado em música popular brasileira pelo Instituto Federal de Pernambuco, ênfase em clarinete, bacharelando em saxofone pela UFPB, pós-graduando em Práticas Interpretativas do Frevo pelo IFPE, participou de diversos festivais de choro pelo Brasil, atuando como professor e compositor, ganhou dois festivais de frevo no ano 2019 e 2021 promovido pelo estado de Pernambuco é líder do Pife Urbano. E atuou em diversas gravações e concertos ao lado de Dori Caymmi, Renato Braz, Dominguinhos, Alceu Valença, Fafá de Belém, Nailor Proveta, Alaíde Costa, Áurea Martins, entre outros.

ANDREA ERNEST DIAS / Brasil

Doutora em Música pela Universidade Federal da Bahia e autora do livro Moacir Santos, ou os caminhos de um músico brasileiro. Idealizadora e diretora artística do Festival Moacir Santos. Foi flautista da Orquestra Sinfônica Nacional UFF de 1991 a 2019. Atualmente lidera o Andrea Ernest Dias Quarteto e integra os grupos Carlos Malta & Pife Muderno, Trio 3-63 e Abstrai Ensemble. Participa regularmente das Bienais de Música Brasileira Contemporânea como solista e camerista. Participou de importantes títulos da discografia brasileira e sua flauta é ouvida em gravações para Baden Powell, Caetano Veloso, Chico Buarque, Edu Lobo, Guinga, Moacir Santos, Rosa Passos, Cássia Eller, Milton Nascimento e Zé Kéti, entre outros artistas da MPB. Como solista, produziu e lançou os CDs Muacy (Sambatown, 2014), Choros Amorosos (Fina Flor, 2010), Em torno de Villa-Lobos (Fina Flor, 2010), Trio 3-63 (Sambatown, 2009) e Andrea Ernest Dias – flauta e Tomás Improta – piano (Biscoito Fino, 2005).Ao longo dos anos vem colaborando como professora com a Oficina de Música de Curitiba e com o Festival Internacional de Música de Londrina, entre outros. www.andreaernestdias.com

ARIADNE PAIXÃO / Brasil

Ariadne Paixão, natural de Recife, mas brasiliense de coração, iniciou seus estudos de flauta na Escola de Música de Brasília aos 12 anos, com o prof. Nivaldo Francisco de Souza. Graduou-se em bacharelado e licenciatura em música pela Universidade de Brasília na classe da profa. Odette Ernest Dias. Depois, estudou em Paris como bolsista do Governo Francês e, desde seu retorno da Europa no ano 2000, é flautista da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro e professora na Escola de Música de Brasília. Em 2022, concluiu o curso de Doutorado em Música pela UFMG sob a orientação do prof. Dr. Maurício Freire.

AYRON YVES / Brasil

Licenciado em Música pela UFPA, Especializado em Metodologia do Ensino das Artes pela UNINTER e Mestre em Música pela UFRGS. Foi aluno da Fundação Carlos Gomes e do Projeto VALE MÚSICA, da Fundação Amazônica de Música – FAM. Em 2012/13 foi 2 e 3 lugar na categoria madeiras no concurso jovens solistas promovido pela FAM. Em 2013 integrou a orquestra do festival Villa-lobos na cidade de Caracas, regida pelo maestro Dietrich Paredes. Foi primeira flauta da Orquestra Jovem Vale Música (2010 até 2015) e participou de concertos com diversos artistas, tais como: David Spencer, Antônio Meneses, David Martins, Nadja Nogueira, Cíntia Vidal, Marília Caputo, Emmanuele Baldini e Nelson Freire. Participou de cursos de aperfeiçoamento com: Raffaele Tevisani, Nicola Mazzanti , Lauren Panfini, Quarteto pé de sí, Arley Raiol, Ismael Reis, Maurício Freire, Brad Garner, Michel Bellavance, Sérgio Barrenechea, Elena Cecconi, Renato Axeruld, Ana Maria Ribeiro, Cláudia Nascimento, Leonardo Winter e Carla Rees. Em 2015 foi aprovado no Conservatório Paganini (Itália) para curso de  aperfeiçoamento. Em 2016 foi 2 lugar do concurso Giovani Solisti, na categoria música de câmara, na cidade de Milão. Entre 2013 e 2022 foi membro da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz (OSTP), atuando como 3a Flauta/Piccolo (2013 à 2015) e como 1a Flauta (2016 à 2022). Atualmente é Professor efetivo no Instituto Estadual Carlos Gomes atuando no âmbito de ensino e extensão.

CÁSSIA CARRASCOZA / Brasil

Flautista brasileira, improvisadora, educadora e pesquisadora. Professora Dra. do Departamento de Música da FFCLRP- USP, onde coordena o LaFlauta, Laboratório de Flauta. Em 2022, recebeu um prêmio da Fundação Jacktrip, o “Jacktrip Foundation Equipment Grant” para pesquisa em música e tecnologia. Desde 2023, é pesquisadora responsável pelo projeto de pesquisa “Música Telemática: Conectividade em Ambientes Virtuais”, financiado pela FAPESP. Desde 2020 colabora com o compositor Paulo C. Chagas num projeto de música audiovisual imersiva telemática; o duo realizou mais de 50 concertos e palestras no Brasil, Estados Unidos, Europa e Ásia, e em 2021, a convite de Chagas, iniciou um visiting scholar na Universidade da Califórnia – Riverside, onde ele é professor. De 1999 a 2018 foi primeira flautista da Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São Paulo e, de 2000 a 2014, foi primeira flautista da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo. Foi integrante da Camerata Aberta, da EMESP, desde a sua fundação em 2010, com a qual recebeu o prêmio APCA 2010 de música contemporânea e o 8° Prêmio Bravo 2012. Foi vice-diretora da OSUSP. Se apresentou em países como Hungria, Holanda, França, Portugal, Bélgica, Estados Unidos, Argentina e China. Desenvolve um intenso trabalho na pesquisa da performance da música contemporânea brasileira, recebendo diversas obras dedicadas a ela. Atualmente desenvolve pesquisa sobre composição colaborativa, performance telemática e improvisação com eletrônica.

CLÁUDIO ABRANTES / Brasil

Maestro e flautista amazonense, iniciou seus estudos de música em Manaus ainda na adolescência. Licenciado em Música, Pedagogia e História, é mestre e doutorando em Ciências da Educação. Lecionou na Universidade do Estado do Amazonas, Universidade Federal do Amazonas e Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro. Implantou corpos musicais para o Serviço Social da Indústria (SESI), Colégio Dom Bosco, e dirigiu a Banda Sinfônica do Liceu Cláudio Santoro.

Atuou como solista junto à Orquestra de Câmara do Amazonas e Amazonas Filarmônica, em concertos de música popular e erudita.

Realizou recitais nos Estados Unidos e excursionou por duas vezes por todos os estados brasileiros pelo projeto Sonora Brasil do SESC, sendo em 2008 com o Quarteto de Sopros da Amazônia e o tema ‘Villa-Lobos’, e em 2018 com a Banda Manauense e o tema ‘Bandas de Música, formações e repertórios’. Regeu as orquestras UEA Sinfônica, Amazonas Filarmônica, Orquestra de Câmara do Amazonas, Coral de Flautas da ABRAF e foi titular da orquestra municipal Big Manaus Band. Em 2022 foi laureado com a medalha do mérito cultural Péricles Moraes no segmento Artes pela Academia Amazonense de Letras. Frequentemente apresenta-se em duo com harpa ou conjunto regional de Choro. Integra a orquestra Amazonas Filarmônica como flautista desde 1997.

DANILO MEZZADRI / Brasil/EUA

Radicado nos Estados Unidos desde 1995, Danilo é Professor titular de flauta na University of Southern Mississippi e primeiro flautista na Gulf Coast e North Mississippi Symphony Orchestras. Danilo também é professor no Blue Lake Fine Arts Camp (USA) e no International Flute Workshop (Italia). Em seu CD mais recente, intitulado Romantic Transcriptions, Danilo é elogiado por sua “grande variedade de cores, dinâmicas e emoções” (The Flutist Quarterly). Vencedor de competições internacionais, Danilo vem apresentando vários concertos e recitais pelas Américas e Europa. Em 2020, juntamente com o pianista Michael Bunchman, fez a estreia Norte Americana do “Magical Concerto” de Armando Guidoni. Em 2022 e 2023, Danilo Mezzadri fez uma série de recitais e concertos na Itália, Espanha, USA, Colômbia e Brasil. Atualmente está participando da comissão internacional de um novo concerto para flauta do compositor americano Alan Theisen. Danilo Mezzadri é o criador do sistema de prática entrelaçada Spider Log. Por meio deste criativo sistema de aprendizado, Danilo tem ajudado jovens músicos a desenvolver rapidamente repertório e domínio técnico. Danilo Mezzadri graduou-se em Música pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, obtendo a primeira colocação em sua turma, e obteve o grau de mestrado e doutorado pela Michigan State University.  www.danilomezzadri.com

DAVID GANC / Brasil

Doutor em Música pela UNIRIO, Bacharel em flauta pela UFRJ, Bacharel em Professional Music – Magna Cum Laude – na Berklee College of Music, Boston, USA. Professor substituto de saxofone na UFRJ (2016-2017), Professor doutorando de saxofone na UNIRIO (2013-2014). Lecionou flauta e saxofone em renomados Festivais e Projetos de música no Brasil. Possui 6 CDs solo lançados e é coautor dos livros/CDs “Choro Duetos – Pixinguinha e Benedito Lacerda Vol. 1 e Vol. 2”, Ed. Irmãos Vitale. Já produziu/co-produziu 20 CDs e como músico de estúdio já gravou mais de 200 discos, de música instrumental e de artistas de MPB. Participou de três edições do Free Jazz Festival RJ e SP, em 1995, 1999 e 2001. Já tocou em palcos de muitos países como EUA, França, Itália, Portugal, Alemanha, México, Uruguai, Angola, Israel e Suíça. Coproduziu a gravação audiovisual de sua música Caldo de Cana pela Orquestra ABRAF, da qual é membro da diretoria, com 220 flautistas de todos os estados do Brasil. Idealizou o Projeto Flutuar Orquestra de Flautas apresenta Clube de Esquina 50 anos realizado em Belo Horizonte em 11/2022. Escreveu os 15 arranjos inéditos para a formação de orquestra de flautas, reproduzindo as músicas do disco homenageado. Como arranjador possui mais 90 arranjos gravados em disco, com encomendas para a WDR Big Band de Colônia, Alemanha e para a NFA na última convenção em Phoenix, Arizona.

DUO DA JUÁ / Brasil

Formado em 2017, na Suíça, o Duo da Juá (mistura de Juazeiro com a pronúncia de ‘alegria’ em francês – la joie) iniciou com o intuito de divulgar a música brasileira no exterior e também explorar diversos repertórios para flauta transversal e piano. Desde então, já se apresentaram na Suíça e em diversas cidades brasileiras como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e São João del Rey. E em 2022 focaram em um repertório inteiramente dedicado à compositora Francisca Aquino.

Luiza Aquino Salles nasceu em Brasília, cursou Bacharelado em Piano na Hartford University (EUA) e concluiu dois mestrados na Haute École de Musique de Lausanne (Suíça): Master Concert e Master Accompagnement. Exerce a sua profissão como concertista, camerista, professora e correpetidora, tendo já se apresentado na Itália, França, Suíça, Portugal e Estados Unidos. Integrou o corpo docente da Universidade de Brasília como professora Substituta de Piano nos anos de 2019 e 2021. Luiza Aquino é hoje professora da Escola de Música do Estado de SP, EMESP.

Letícia Maia é doutoranda pela Universidade de Aveiro (Portugal), com dois mestrados pela Haute École de Musique de Lausanne (Suíça) e Bacharel pela UNESP (São Paulo), Letícia possui experiência como musicista de orquestra e também como participante em performances do repertório camerístico, tendo o Duo da Juá como seu trabalho mais marcante nessa área.

ELISMAEL LOURENÇO / Brasil

Mestre em Ensino de Artes pela UFAM/UEA – (PROFARTES), Especialista em Ensino de Artes pela Universidade do Estado do Amazonas – UEA, Licenciado em Música pela Universidade do Estado do Amazonas – UEA, músico da Orquestra Amazonas Filarmônica onde atua tocando clarinete, clarone e requinta, e participando com esse grupo, entre outros espetáculos, das produções apresentadas durante o Festival Amazonas de Óperas. Já trabalhou como professor substituto do ensino superior, no Curso de Música da Universidade Federal do Amazonas – UFAM, e atualmente atua como professor na rede pública de ensino básico, onde desenvolve pesquisa sobre o ensino coletivo do clarinete. Músico, músico fundador da I Orquestra Latino Americana de Vientos – Colômbia, criador e integrante do grupo de clarinetes Rio Negro atuante na cidade de Manaus, arranjador e professor de clarinete do CMAE- Aníbal Beça e Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro.

EVANDRO ARCHANJO / Brasil

Natural de Diamantina/MG. Mestre em musicologia histórica e bacharel em flauta pela UFMG, onde estudou sob a orientação de Artur Andrés Ribeiro, Maurício Freire Garcia e Edite Rocha. Como flautista, participou de diversos festivais de música no Brasil e do XVII Orchestrades Universalles de Brive-la-Gaillarde-França. Frequentou cursos de interpretação com renomados músicos como Odette Ernest Dias, Michel Debost, Lucas Robatto, Sérgio Barrenechea, Gabriel Goñi, dentre outros. Foi vencedor das edições de 2005 e 2007 do Jovem Músico BDMG. Possui gravações com diversos artistas como Fernando Sodré, Thiago Nani, Pedro Murta, coral Arte Miúda, Coral Ribeirão de Areia e Quarteto Diamantino.

Atuou como músico da orquestra e banda sinfônicas da UFMG, como convidado das orquestras sinfônicas de Minas Gerais, Ribeirão Preto-SP, da Orquestra Experimental de Ouro Preto e da Ensamble de las Américas, com esta, participou em 2015 da primeira audição mundial da missa “La Cruz del Sur” de Daniel Pacitti em Berlim. Tem como principais orientadores  Michael Streckenbach (Alemanha), Marco Brescia e Josinéia Godinho. É organista titular e regente da série “Concertos no Carmo” ao Órgão Histórico Almeida e Silva/Lobo de Mesquita (1787), órgão mais antigo construído no Brasil em funcionamento. Fundador dos grupos Quarteto Diamantino e Ateliê do Choro, com os quais trabalha a reintegração do patrimônio arquivístico musical de Diamantina.

FERNANDO BRANDÃO / Brasil/EUA

Flautista, compositor e educador carioca, mora em Boston há mais de 30 anos e desde 1996 é Professor da Berklee College of Music, onde desenvolveu um currículo dedicado à música brasileira (sua especialidade além de jazz e música erudita). Nos EUA e Brasil já foi convidado a palestrar e tocar como solista em diversos festivais, universidades, teatros e junto a orquestras, além de se apresentar como camerista em duo com a pianista Maria Teresa Madeira. Seu sétimo álbum como produtor, compositor, Imagine 5, foi lançado em 2019. Sua discografia inclui colaborações de vários artistas em mais de 40 álbuns. Suas composições foram gravadas pelos grupos Choro das Três, New World Guitar Trio e pelo bandolinista Almir Cortes. Lançado pela prestigiada editora alemã Advance Music, Fernando é autor do livro didático Brazilian and Afro-Cuban Jazz Conception, publicado em inglês, alemão e japonês. Fernando foi vencedor de vários concursos nacionais no Brasil, incluindo o Jovens Concertistas Brasileiros, o Solistas da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo, o Jovens Solistas da Música Brasileira, Concurso Eldorado, entre outros. Em Boston, foi vencedor do Pappoutsakis Flute Competition. Fernando tem bacharelado em música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestrado pela New England Conservatory de Boston e o Artist Diploma pela Longy School of Music.

HILO CARRIEL / Brasil

Natural de Itacoatiara, interior do Amazonas, Hilo Carriel reside em Manaus onde trabalha como pianista do Coral do Amazonas, maestro associado da Orquestra de Câmara do Amazonas e instrutor do Curso Livre de Regência do Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro. Selecionado como Conducting Fellow pela Baltimore Symphony Orchestra na temporada 2018-2019 e como Dudamel Fellow pela Los Angeles Philharmonic na temporada 2019-2020, Hilo foi também finalista da última edição da Sir Georg Solti Competition, promovida pela Chicago Symphony Orchestra.

Destaque nacional ao receber o Prêmio da Revista Concerto como Jovem Talento de 2019, Hilo é o membro mais jovem da Academia Amazonense de Música. Em 2023, foi o único regente da América Latina a avançar para as finais da 58th Besançon International Competition for Young Conductors. Recentemente regeu os concertos de pré-abertura da temporada 2024 da OSESP, com sucesso de público e crítica.

Hilo é Bacharel em Regência pela Universidade do Estado do Amazonas e Mestre em Regência pelo Peabody Institute of Johns Hopkins University.

IVO DAE-SEONG SHIN DE SOUZA / Brasil

Flautista carioca, graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Ivo obteve seu mestrado pela Universidade do Arizona (UA), e atualmente está cursando doutorado na Michigan State University (MSU). Conquistou prêmios como o Arizona Flute Society Young Artist Competition, o 46th Annual President Concerto Competition, o Mid-Atlantic Flute Society Young Artist Competition, e a Orchestral and Masterclass competition pela NFA. Ele teve a honra de trabalhar ao lado de talentos como Hannah Maser, primeira flauta da Detroit Symphony Orchestra, José Ananias, da OSESP, Jasmine Choi, reconhecida como uma das principais artistas internacionais da flauta, e Philippe Bernold, distinto professor do Conservatório de Paris. Essas experiências enriquecedoras não apenas ampliaram seu repertório musical, mas também o inspiraram a buscar constantemente a excelência em sua arte. Além de suas realizações nos Estados Unidos, Ivo também é reconhecido no Brasil, seu país natal. Sua reputação como flautista de destaque lhe rendeu convites para tocar concertos e ministrar masterclasses em diversos estados americanos e no Brasil, onde ele continua a inspirar e encantar audiências com sua música. Sua reputação como flautista de destaque lhe rendeu convites para tocar concertos e ministrar masterclasses em diversos estados americanos e no Brasil, onde ele continua a inspirar e encantar audiências com sua música.

JESUS ELBITAR / Brasil

Piccolista da Orquestra Amazonas Filarmônica desde 2022, Sr. Elbitar realizou seus estudos de flauta no renomado projeto de ensino musical, conhecido no seu país natal como Sistema de Orquestras da Venezuela, no Conservatório Simón Bolívar. Neste país, ele foi vencedor do 1º lugar no Festival de Flauta e Piccolo da Região Oriental em 2012. Ainda na Venezuela, sua jornada como flautista profissional teve início aos 19 anos de idade nas orquestras do Estado de Monagas, ingressando na Orquestra Sinfônica José Tadeo Monagas e posteriormente na Orquestra de Câmara de Maturín, onde participou como flautista e professor em turnê pela ilha de Santa Lúcia, pertencente à Inglaterra, no Projeto “Saint Lucia School of Music”. Paralelamente às atividades enquanto flautista, realizou estudos de regência com os maestros Rey Cantor, Dr. Cesar Suarez e Yuri Hung, desde os 16 anos de idade, o que o levou a ser convidado em 2017 para ser Regente da Orquestra Sinfônica José Tadeo Monagas. Em 2018 emigrou para o Brasil e fez parte da Banda Sinfônica do Amazonas, onde atuou como primeira flauta e piccolo. Atualmente em Manaus ele também é integrante do “Manacanto”, um projeto intercultural entre Brasil e Suíça, e tem feito participações como convidado da Orquestra de Violões do Amazonas – OVA e como solista junto à Orquestra de Câmara do Amazonas – OCA.

JÚLIO ZABALETA / Brasil

Iniciou seus estudos na flauta transversal aos 12 anos com Dr. Raul Costa d’Avila. Em 2011 estudou junto ao Dr. Antônio Carlos Guimarães na Universidade Federal de São João del Rei, através da bolsa ANDIFES. Agraciado com bolsa de intercâmbio do programa federal Ciência Sem Fronteiras em 2013, cursou ano letivo na Tilburg University (Holanda). De 2016 a 2018 foi professor assistente e integrante do Quinteto de Madeiras da Pós-Graduação da Universidade do Colorado em Boulder (EUA), sob orientação de Christina Jennings. Zabaleta tem participado de diversos festivais internacionais de música, entre eles o 50° Festival de Campos do Jordão e diversas edições do Festival SESC de Música e do Festival Internacional da ABRAF. Participou de masterclasses com renomados flautistas, tais como Emmanuel Pahud, Sir James Galway, Ransom Wilson, Jessica Dalsant e Lorna McGhee. Em 2017, Zabaleta foi contemplado com o segundo prêmio da Competição Memorial Ekstrand de Performance Musical. Em 2021 foi professor convidado do  Festival de Música do Pará, além de atuar como flautista convidado em diversas orquestras (OSESP, OFG, entre outras). Júlio Warken Zabaleta é Mestre em Performance Musical pela Universidade do Colorado em Boulder, Bacharel em Música pela Universidade Federal de Pelotas, integrou a Academia de Música da OSESP, sob orientação de Cláudia Nascimento (2019), e atualmente é flautista solista da Orquestra Sinfônica do Paraná.

LEONARDO WINTER / Brasil

Professor Titular de Flauta Transversal da Graduação e Pós-Graduação na UFRGS. Doutor em Performance Musical pela UFBA, vencedor de diversos concursos musicais, como solista tem atuado junto à diversas orquestras brasileiras. Em 2017 registrou seu primeiro CD solo, resultando em 05 Prêmios Açorianos: CD do Ano 2017, Melhor CD Erudito, Melhor intérprete, Melhor instrumentista e Melhor Compositor. Outros registros fonográficos incluem o CD Trio de Madeiras de Porto Alegre, Mahavydias do compositor Vagner Cunha e o CD Porto Allegro do violonista, compositor e professor Daniel Wolff, entre outros. Tem ministrado masterclasses em instituições de ensino no Brasil e exterior e também como professor em festivais de música. Idealizador e fundador do Encontro de Flautistas do RS, festival que congrega renomados professores nacionais e internacionais nas Universidades Federais de Santa Maria, Pelotas e Porto Alegre. Atuou ainda como coordenador e curador artístico da série Música no Museu Júlio de Castilhos, Projeto Interlúdio de Recitais Musicais na UFRGS bem como integrou a comissão artística da Fundação OSPA entre os anos 2010 e 2012. Como camerista tem atuado em diversas formações instrumentais em recitais no Brasil, Suíça, Portugal, Argentina e Uruguai. Músico da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre desde 1990 tem atuado sob a regência de maestros de renome no cenário nacional e internacional e ainda como músico convidado de várias orquestras.

LETÍCIA MAIA / Brasil

Natural de São Paulo, Letícia cursa o terceiro ano de Doutorado em Performance na Universidade de Aveiro, Portugal. Anteriormente viveu na Suíça, onde obteve dois mestrados, em performance de flauta transversal e em pedagogia, na Haute École de Musique de Lausanne, na classe do professor José-Daniel Castellon. É também titular de um bacharelado em Performance de Flauta transversal pela Universidade Estadual Paulista – UNESP (São Paulo). Letícia participou e colaborou com várias orquestras, como a Orchestre de l’Opéra de Lausanne, Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo, Orquestra de Câmara da Universidade de São Paulo, Orquestra Jazz Sinfônica, Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo e Orquestra Jovem Tom Jobim. Frequentemente ela também atua com grupos de música de câmara, com os quais já se apresentou em diversas cidades brasileiras, mas também na Suíça, Itália, Áustria e Portugal. Seu trabalho de música de câmara mais marcante é o Duo da Juá com a pianista brasileira Luiza Salles. Letícia já participou como bolsista da Academia de Verão do Remix na Casa da Música (Portugal), de duas edições do Festival Internacional de Campos do Jordão (Brasil) e também da Academia International Teatro del Lago (Chile). Em 2020 ganhou o Primeiro Lugar na sua categoria no I Concurso Virtual da Associação Brasileira de Flautistas (ABRAF) para flauta solo. Atualmente é professora de flauta no Conservatório de Tatuí.

MÁRCIO PÁSCOA / Brasil

Graduado em Instrumentos Antigos – flauta transversal barroca e flauta doce – pelo Instituto de Artes da UNESP (1994), onde fez seu mestrado em Artes (1996). Fez doutorado em Ciências Musicais Históricas pela Universidade de Coimbra e pós-doutorado em Música pela Unicamp (2019). É professor da UEA, na graduação em Música e no Programa de Pós-Graduação em Letras e Artes, onde orienta mestrado e doutorado. Coordena o Laboratório de Musicologia e História Cultural, que abriga o projeto da Orquestra Barroca do Amazonas, desde 2009, com a qual se apresentou por mais de 40 cidades de Brasil, Portugal, Espanha, França e Itália. Gravou 5 CDs com repertório barroco e clássico luso-brasileiro. Deu aulas e masterclasses de traverso e música de câmara em diversos conservatórios, universidades e festivais (Salamanca, Lisboa, Juiz de Fora, Belém, Recife, etc). Tem diversos livros e artigos científicos publicados. Também está vinculado ao CNPq como bolsista de produtividade em pesquisa PQ2

MICHEL BELLAVANCE / Suíça

Flautista internacionalmente conhecido, Michel Bellavance tem sido muito requisitado em todo o mundo como artista e professor.

Com compromissos em quase todos os continentes, ele atende a uma agenda repleta de viagens, com convites para atuar como artista convidado em festivais, como solista frente a orquestras e em recitais; é também muito requisitado para dar masterclasses em conservatórios, universidades e academias de verão em todo o mundo.

Como artista Miyazawa, Michel tem em seu repertório uma extensa gama de obras para flauta e sua discografia atesta seu grande interesse por obras novas e menos conhecidas.

Michel é professor de flauta e música de câmara no renomado Conservatório de Genebra (Haute École de Musique) na Suíça, professor convidado no Conservatório Nacional Chinês em Beijing (China) e professor substituto no Conservatoire National Supérieur Musique et Danse em Lyon (França) durante o ano acadêmico 2019-2020.

Estudou em Montreal, Paris, Genebra, Zurique e San Francisco onde aprimorou suas habilidades como flautista sob a orientação de artistas como Aurèle Nicolet, Patrick Gallois, Maxence Larrieu e Paul Renzi. Michel reside em Londres e possui cidadania suíça e canadense. www.michelbellavance.com

RAUL COSTA D’AVILA / Brasil

Flautista, professor da Universidade Federal de Pelotas – UFPel. Coordenador do Laboratório de Pedagogia e Performance da Flauta Transversal – LaPPerF. Doutor em Música pela Universidade Federal da Bahia, já participou como convidado de diversos eventos ocorridos em universidades no Brasil, entre elas UFBA, UFSM, UFSJ, UFSM e UFG, do 5° e 6° “Encontro de Flautistas do RJ”, e atuou também como como organizador dos “Encontros de Flautistas do Rio Grande do Sul” (2023, 2018, 2016, 2015, 2010, 2009), e participou da IV Convention Française de la Fûte (Paris / 2012), Cycle de Musique Contemporaine du Brésil (Paris / 2010), entre outros. Organizou, em parceria com Valentina Daldegan, o livro “PATTAPIOS” – uma edição comemorativa dos 20 anos da Associação Brasileira de Flautistas / ABRAF. Em 2022 seus “Poemas Sonoros” para flauta solo foram publicados em livro na Lund University (Suécia), pelo Prof. Dr. Anders Chapelon. “Singelezas” – seis miniaturas para flauta solo, foi peça de confronto no “I Concurso Virtual Internacional de Flauta” promovido pela Asociación Colombiana de Flautistas, em 2020. Atualmente é Vice-Presidente da ABRAF (2023-2026), integra a Comissão Científica da Associação. É Coordenador adjunto do projeto de pesquisa “Avendano Junior: a tradição do Choro em Pelotas – a construção de um arquivo colaborativo da música e memória de Pelotas e Região”, desenvolvido na UFPel.

RENATO KIMACHI / Brasil

Natural de Ribeirão Preto, Renato é Mestre em Música-Flauta pela Arizona State University School of Music e bacharel em Música-Flauta pela Unicamp. E estudou também com vários importantes professores no Brasil e no exterior. Foi vencedor dos concursos “Jovens Solistas” da Orquestra Experimental de Repertório, “Jovens Solistas” da OSESP e Concurso Nacional de Música de Câmara da Faculdade Santa Marcelina. Foi flautista solista da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto (1997-2003) e integrou a Banda Sinfônica do Estado de São Paulo e Orquestra Experimental de Repertório. Atuou como solista à frente da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo, Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto, Orquestra Experimental de Repertório e Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Foi professor substituto de Música-Flauta na UFRGS de 2002 a 2003. Fez parte do corpo docente da Fundação Magda Tagliaferro em 2009 e 2010. Participou da gravação do CD “Canção da Terra” com a obra “Das Lied Von Der Erde” de Gustav Mahler pelo selo Algol. Em 2018 atuou como solista na estreia mundial da obra Concerto No. 2 de Edson Beltrami. Lecionou no programa de bolsas “Jovens Talentos” da Sociedade de Cultura Artística. Seus alunos se destacam no Brasil e no exterior. Idealizou e atuou na organização do primeiro OsuspFest em Março de 2021. Desde Junho de 2003, através de concurso público, é flautista solista da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo (OSUSP).

RUI CARVALHO / Portugal/Brasil

Nasceu em Lisboa em 1954. Reside no Brasil desde 1978. Mudou-se para Manaus em 2001 a convite do Governo do Amazonas, por meio da sua Secretaria de Cultura, com a finalidade de dirigir a AMAZONAS BAND, corpo artístico da Secretaria de Cultura do Estado do Amazonas. Atuou como Diretor Artístico do Festival Amazonas Jazz entre 2006 e 2014. Regente, arranjador e educador, tem experiência na área de Artes, com ênfase em música popular/jazz, com arranjos publicados nos Estados Unidos da América. Concluiu doutorado em Música, pela UNICAMP ( 2014), na área de concentração Fundamentos Teóricos com a tese Parintins: Boi-bumbá e afirmação identitária. Discurso, representações, sonoridades e identidade no Amazonas contemporâneo. Finalizou seu mestrado em Música, pela UNICAMP (2003) na área de concentração Processos Criativos, com a dissertação Entre a Imanência e a representação, Maestro Branco e a banda Savana. Possui graduação em Música pela Faculdade Mozarteum de São Paulo (1999). É diretor artístico do AMAZONAS GREEN JAZZ FESTIVAL, sendo responsável pela programação de palco e pedagógica do evento, bem como pela coordenação logística dos  festivais  de Jazz,  realizados no Amazonas desde sua primeira edição em 2006. Para mais informações sobre RUI CARVALHO, bem como para escutar os CDs gravados pela AMAZONAS BAND,  acessar www.ruicarvalhomusic.com.br.

SÉRGIO MORAIS / Brasil

Formado no curso técnico de flauta da Escola de Música de Brasília. Primeiro flautista contrabaixista do Brasil, desenvolve um trabalho especial na música brasileira com esse instrumento. Participou como artista da 41a Convenção Anual da NFA em New Orleans (EUA) tocando flauta contrabaixo na Orquestra de Flautas das Américas e na Orquestra de Flautas da ABRAF, Associação Brasileira de Flautistas. Professor da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello de 2002 a 2022, participou como docente de vários festivais e oficinas no Brasil e exterior, como a Oficina de Música de Curitiba, Festival de Música de Londrina, Festival de Viçosa do Ceará, Festivais da ABRAF e ACOFLA (Costa Rica). Em 2012 participou do último show de Altamiro Carrilho no Clube do Choro de Brasília e, a pedido do próprio, hoje Sérgio toca em sua flauta de 1950, que antes pertencera ao flautista e compositor Ari Ferreira. Em 2020 foi convidado a integrar a ALMUB – Academia de Letras e Música do Brasil, ocupando a cadeira de número 43, tendo escolhido como patrono Altamiro Carrilho. Desde 2023 preside a Associação Brasileira de Flautistas, onde organizou a décima nona edição do Festival Internacional de Flautistas da ABRAF, que aconteceu em junho de 2023 em Paraty-RJ. Em agosto de 2023 participou como convidado da 51a Convenção Anual da NFA em Phoenix, no Arizona-EUA, tendo participado de um concerto em homenagem à flautista, pianista, compositora e arranjadora Lea Freire.

TÂMILA FREITAS / Brasil

É uma flautista, cantora e compositora amazonense. Graduou-se em música pela Universidade do Estado do Amazonas em 2010. Complementando sua experiência musical, estudou no Conservatório de Tatuí, na Escola Municipal de Música de São Paulo, e na Academia da Osesp até o ano de 2017.  Ela fez seu mestrado duplo em canto e flauta na Universidade do Missouri em 2021, nos Estados Unidos. Completou recentemente seu doutorado em Música pela Universidade de Iowa. Muitos são os professores aos quais contribuíram para a formação de sua carreira flautística, sendo os principais em sua trajetória: Tatiana Gerassimova, Anselmo Pereira, Edson Beltrami, Rogério Wolf, Alice Dade e Nicole Esposito.

TATIANA GERASSIMOVA / Bielorússia

Musicista formada em Flauta Transversal pela Academia Estatal de Música da Biolorrússia,  com especialização em: artista de orquestra, conjunto de câmara e professora de música, com obtenção de nota máxima.

Vencedora de três Concursos Nacionais de Música na Bielorrússia, desempenhou importantes funções como flautista em Orquestras nesse país, tais como: Orq. Experimental de Ópera, Orq. Nacional de Rádio e TV, Minsk Orquestra e Orq. Classic Avangardt. No Brasil, além de seguir a carreira como 1ª flautista da Orquestra Amazonas Filarmônica (desde 1999), ministrou aulas no Liceu de Artes e Ofícios Cláudio Santoro e Universidade do Estado do Amazonas.

VICTOR SOMMA / Brasil

Flautista e compositor paulista radicado na Bélgica desde 2012. Bacharel e mestre em composição pela KU-Leuven/Luca-Arts e bacharel em flauta pela UFRJ. Suas obras orquestrais e de música de câmara já foram interpretadas em vários países da Europa, tendo a sua obra “Ide!” para flauta solo, escolhida como peça de confronto na final do 43° concurso internacional James Pappoutsakis e a sua obra “Do You Love Me?” para flauta e piano eleita melhor obra contemporânea no Swiss Chamber Music Festival de 2018, além de receber diversas encomendas de importantes flautistas solistas europeus e do conjunto de flautas da Universidade Católica de Lovaina. Foi professor do departamento de instrumentos e voz da KU-Leuven/Luca Arts entre 2020 e 2022, atualmente ensina Harmonia, Análise Musical e Formação Musical nos conservatórios de Saint-Hubert e Bertrix. Seu primeiro álbum solo “Minimal Dreams” foi lançado em 2023 no Splendor Amsterdam e foi escolhido como parte do programa oficial da 51ª Convenção Anual da NFA em Phoenix, Arizona. Na Bélgica os concertos de lançamento iniciaram em La Cité Miroir, com futuros concertos na série Das Haus, além de concertos e workshops em conservatórios por todo o país. Os próximos concertos da temporada 2024 incluem apresentações na Bélgica, Espanha e Brasil (com o apoio do BNDES), e como convidado especial do Flute Fest 2024 em Viena – Áustria (Austrian Flute Society).

VIVIANE MARQUES / Brasil

Flautista, piccolista e professora de flauta transversal Suzuki, é natural da cidade de São Paulo e tem como formação acadêmica bacharelado com habilitação em flauta transversal pela Faculdade Integral Cantareira (2014 – 2017), tendo como professor Rogério Wolf. Iniciou os estudos de flauta transversal aos 12 anos de idade, no Instituto Baccarelli onde atuou também como professora das turmas coletivas e preparatórias de flauta transversal Suzuki. Participou ativamente de master classes com flautistas de grandes orquestras pelo mundo: Michel de Paula; Andrea Lotscher; Isabelle Schnoller; Natalie Schwaabe; Michael Faust; Fabiola Alves; Walter Auer; Andrea Oliva e Gary Woodward. Em 2016 participou da 34ª Oficina de música de Curitiba e nos anos 2017 e 2019 do 18º e 20° Festivais Música nas Montanhas em Poços de Caldas (MG). No campo orquestral atuou ativamente nas orquestras Juvenil e Sinfônica Heliópolis, e teve uma participação junto a Orquestra Amazonas Filarmônica.

WENDY ROLFE / EUA

Professora de Flauta na Berklee College of Music em Boston, D.M.A e M.M. pela  Manhattan School of Music e B.M. pelo  Oberlin Conservatory, Sra. Rolfe é uma das principais intérpretes de flautas históricas e modernas dos Estados Unidos, apresentando-se em concertos e realizando master classes sobre improvisação barroca como artista convidada em vários festivais de flautas e em Universidades nos EUA e em vários outros países, incluindo o Brasil. Ela apresenta-se, grava e faz turnês com a Handel and Haydn Society, o Boston Baroque, o Concert Royal de Nova York, a Orquestra Barroca Tafelmusik de Toronto e outros. A Sra. Rolfe viaja frequentemente pelo Brasil, ministrando recitais e masterclasses nas Universidades de São Paulo, Brasília, Campinas e Rio. Atualmente, Sra. Rolfe auxilia os flautistas da Pro Arte no Rio de Janeiro. Ela e a importante pianista brasileira Maria José Carrasqueira lançaram “Imagens do Brasil”, que apresenta música brasileira de inspiração folclórica para flauta e piano. Enquanto fazia parte do Conselho de Administração da Associação Nacional de Flauta dos EUA (NFA), a Sra. Rolfe foi convidada para se tornar Presidente do Comitê de Divulgação Cultural da NFA, no qual ainda atua. Ela se apresentou em vários programas durante convenções realizadas pela NFA, mais recentemente com o World Flutes Ensemble (que ela co-dirigiu) em 2011 e 2012, e com a Flute Orchestra of the Americas em 2013.

Associe-se a ABRAF

A ABRAF é uma Organização Social sem fins lucrativos e depende da anuidade de seus associados para continuar oferecendo eventos gratuitos aos seus associados.
Caso não seja associado ou queira atualizar o cadastro, preencha e envie os dados do Formulário (clique aqui).

A partir do dia 09/05/2023 os novos valores serão:

Profissional (R$200/ano)
Amador (R$200/ano)
Estudante (R$120/ano)
Outros (R$200/ano)

Contamos, ainda e sempre, com o esforço coletivo em trazer para junto da ABRAF um número sempre crescente de flautistas, o que garantirá o futuro de nossa associação.

Agradecemos, desde já, por sua colaboração e compreensão e ficamos à disposição para qualquer dúvida que tenham.

Abrafs!

Sérgio Morais
Presidente da ABRAF Diretoria 2023-2026

25 de abril de 2023

Faça o pagamento da anuidade – oferecemos 3 opções
1 – Pix: Depósito na Conta ABRAF. Chave: (CNPJ) 00196294000179 – (enviar comprovante)
2 – Depósito na Conta ABRAF, no Santander – instruções abaixo – (enviar comprovante)

Conta ABRAF
Associação Brasileira de Flautistas
Banco Santander (033)
Agência: 4371
Conta corrente da ABRAF: 13-002333-2
CNPJ da ABRAF: 00196294/0001-79
IMPORTANTE: Envie o comprovante de depósito para: contact@abraf.org

REAJUSTE DE ANUIDADE A PARTIR DO DIA 09 DE MAIO DE 2023

Prezadas associadas e prezados associados da ABRAF,

Conforme o nosso estatuto, os fundos para a associação dependem exclusivamente das anuidades pagas pelas/os associadas/os. Os valores arrecadados nos permitem manter as obrigações previstas em lei para a manutenção da associação, principalmente a contabilidade, e promover as atividades também previstas no estatuto, como festivais, master-classes, palestras, concursos, publicações e outras iniciativas que congreguem em torno da flauta.

Há pouco mais de 10 anos a ABRAF não reajusta sua anuidade. O último reajuste foi em 2013.

Os valores atuais – Profissional (R$100/ano) – Amador (R$100/ano) – Estudante (R$60/ano) – Outros (R$100/ano) – não estão sendo suficientes para manter a ABRAF e em breve não haverá mais recursos para sequer pagar a contabilidade, o que nos deixará numa situação bastante difícil de enfrentar.

Em reunião online com a diretoria e com associados em 05/03/2023 chegamos à conclusão de que o reajuste é imprescindível e inevitável.

Assim sendo, até o dia 08/05/2023 vamos manter os valores antigos, conforme mencionados acima. A partir do dia 09/05/2023 os novos valores serão:

Profissional (R$200/ano)
Amador (R$200/ano)
Estudante (R$120/ano)
Outros (R$200/ano)

Contamos, ainda e sempre, com o esforço coletivo em trazer para junto da ABRAF um número sempre crescente de flautistas, o que garantirá o futuro de nossa associação.

Agradecemos, desde já, por sua colaboração e compreensão e ficamos à disposição para qualquer dúvida que tenham.

Abrafs!

Sérgio Morais
Presidente da ABRAF Diretoria 2023-2026

25 de abril de 2023

Diretoria da ABRAF

Diretoria 2023 - 2026

Sérgio Morais

Presidente 

Raul Costa d’Avila

Vice-Presidente 

Silvana Poll

Secretária 

Arley Raiol

Tesoureiro 

Evento Científico

Valentina Daldegan

Diretora 

Andrea Ernest Dias

Vice-Diretora 

Conselho Consultivo

Ariadne Paixão 

Alberto Sampaio

Cássia Carrascoza

David Ganc

Rogério Acioli

Conselho Fiscal

Danilo Mezzadri

Felipe Amorim

Murilo Barquette

Presidente Fundador

Celso Woltzenlogel

Sócios Honorários

Altamiro Carrilho

João Dias Carrasqueira

Lenir Siqueira

Odette Ernest Dias

Norton Morozovicz

In Memoriam

José Luiz de Oliveira

Colaborador

André Medeiros

Editor do Pattápio

Jean-Pierre Rampal

Patrono

Eleições ABRAF 2023-2026

RESULTADO DA ELEIÇÃO

Número total de votos: 52
Número de votos válidos: 51
Número de Votos SIM: 51

Associados em dia com a anuidade: 106
Votaram: 52
Foram considerados votos nulos os votos de: 0 voto
associados inadimplentes: 0 voto
pessoas não associadas à ABRAF: 0 votos
votos em duplicata: 1 voto

Após apuração, foi eleita a Chapa 1.

Presidente: Sérgio Morais
Vice presidente: Raul D’Ávila
Tesoureiro: Arley Raiol
Secretaria: Silvana Poll
Diretora do Evento Científico: Valentina Daldegan
Vice-diretora do Evento Científico: Andrea Ernest Dias

São Paulo 07 de dezembro de 2022.

_______________________________

Divulgação das chapas homologadas

Conforme Edital de convocação das Eleições  para a Diretoria da ABRAF, publicado em 16 de novembro de 2022, divulgamos hoje, dia 30 de novembro de 2022 a(s) chapa(s) encaminhada(s) à atual Diretoria da ABRAF, com seu(s) respectivo(s) número(s) e nomes dos representante(s)

Resultado das inscrições de chapas para a Eleição da nova diretoria da ABRAF, gestão 2023-2026
Tivemos apenas uma chapa inscrita, portanto a eleição se dará no dia 06 de dezembro apenas com as opções: Sim e Não.
Será enviado email para os associados e os mesmos deverão ser respondidos no dia 06 de dezembro.

Chapa 1
Sergio Morais – presidente
Raul D’Ávila- vice-presidente
Arley Raiol – tesoureiro
Silvana Poll – secretária
Valentina Daldegan – diretora do Evento Científico
Andrea Ernest Dias – vice-diretora do Evento Científico

São Paulo, 30 de novembro de 2022

_______________________________

Edital de convocação das eleições para a Diretoria da Associação Brasileira de Flautistas / ABRAF

PUBLICADO EM 16 DE NOVEMBRO DE 2022

O presidente da Associação Brasileira de Flautistas, Rogério Zerlotti Wolf, no uso de suas atribuições, convoca os associados da ABRAF para participarem da eleição que definirá a Diretoria Executiva da gestão 2023 – 2026.

O processo eleitoral ocorrerá no dia 06 de dezembro de 2022 por votação eletrônica.

A forma de eleição da Diretoria Executiva consistirá na apresentação de chapas, as quais deverão conter os nomes completos dos candidatos.

As chapas serão compostas dos seguintes cargos na Diretoria Executiva:

  • um Presidente
  • um Vice-Presidente
  • um Secretário
  • um Tesoureiro 
  • dois Diretores

O processo eleitoral obedecerá o seguinte calendário:

– 21 a 26 de novembro de 2022: inscrição das Chapas
– 28 e 29 de novembro de 2022: homologação* das Chapas
– 30 de novembro de 2022: divulgação das Chapas homologadas
– 01 a 05 de novembro de 2022: campanha eleitoral
– 06 de dezembro 2022: Eleição (votação)
– 07 de dezembro 2022: Divulgação dos resultados

*Homologação: Para ser homologada, todos os candidatos da Chapa devem ser associados, estar em dia com a ABRAF, tendo pago no mínimo duas anuidades consecutivas.

As chapas formadas deverão ser encaminhadas, com seus respectivos representantes, para o seguinte endereço: contact@abraf.org

As chapas receberão um número, conforme ordem de recebimento.
Cada chapa, após HOMOLOGADA, será divulgada no site da ABRAF no dia 30 de novembro de 2022, com seu número e nome completo dos respectivos representantes.

No caso de chapa única, poderá ser definido pela Comissão Eleitoral que a cédula apresentará apenas duas alternativas, “sim” ou “não”. Na hipótese da alternativa “não” alcançar a metade mais um dos votos dos eleitores presentes ao pleito, esta não poderá ser proclamada eleita, resultando em que a Comissão Eleitoral iniciará novamente todo procedimento para o novo pleito.

A Eleição/Votação será através de meio eletrônico, até às 23:59 do dia 06/12, enviando e-mail para o seguinte endereço: contact@abraf.org

Nada mais tendo a tratar.

Rogério Zerlotti Wolf
Presidente ABRAF